Biomassa Projetada – O que é e sua aplicação?

Biomassa Projetada – O que é e sua aplicação?

Biomassa projetada e recuperação ambiental, duas palavras intimamente interligadas no meio da engenharia. Não podemos abordar uma sem falar da outra, uma vez que ambas abordam o reestabelecimento do ambiente. Utilizada para devolver ao solo suas características naturais após degradação por atividades humanas, seja agropastoril ou industrial, essa técnica é essencial para o equilíbrio ambiental e para que esse ambiente possa ser utilizado novamente para fins específicos.

Mas o que é a biomassa projetada e como é sua aplicação?

Tendo em vista que “Bio” significa vida e “massa” a quantidade de matéria sólida ou pastosa, pode-se deduzir que a biomassa é uma massa organomineral composta por materiais orgânicos como: sementes, fertilizantes, mulch e fibras longas (como a de coco, bagaço de cana, palha de milho ou colmo de plantas) que estão localizadas em toda a superfície do solo.

Seu processo é uma mistura entre hidrossemeadura e tela vegetal. As principais diferenças estão na quantidade de mulching (baseado em fibras curtas e longas), que é muito maior por m2, fazendo uma gramatura, de cerca de 350 a 450 g/m², muito parecida à da tela vegetal.

Esse método recobre totalmente o solo, criando uma espécie de camada que se adere a toda e qualquer irregularidade. Esta camada feita com mulching, sementes e fertilizantes propicia uma condição similar a natural auxiliando na germinação e desenvolvimento. Além de criar uma camada protetora contra erosão por salpicamento, intempéries climáticas e ação predatória de aves.

Entre as vantagens de optar pela biomassa projetada, estão:

– É um processo rápido e com bom rendimento com capacidade de cobrir grandes áreas;

– Possível utilização em qualquer tipo de solo;

– Boa aderência protegendo contra ação das chuvas e carreamento de insumos;

– É possível criar várias camadas atendendo aos locais que mais necessitam da massa organomineral;

– Favorece a germinação, uma vez que as sementes ficam misturadas ao solo e agindo também como substrato;

– Rápida recuperação;

– É o processo que mais adiciona ao solo materiais orgânicos de qualidade;

– Melhor estruturação do solo.

A biomassa e o futuro

A biomassa não é apenas um processo para recuperação ambiental, ela já está sendo estudada para ser aplicada na área de energia. Como você bem sabe, os combustíveis fósseis tem prazo de validade e o aquecimento global já está afetando demais o clima. Para reduzir seus efeitos, é preciso pensar em novas formas de energia.

O uso da biomassa nos processos e produções de energia sustentáveis para melhorar a taxa de conversão e eficiência energética está a todo vapor.

O etanol de cana, no Brasil, e de grão de milho, nos EUA, foram os primeiros passos, os famosos baby steps, para inserir uma energia sustentável no sistema de combustíveis.

O bagaço da cana, por exemplo, vem sendo amplamente utilizado na geração de vapor para produção de energia elétrica. Seu uso ocorre, principalmente, nas usinas de açúcar e álcool. O excedente é encaminhado para a rede elétrica regional.

Outro exemplo fica a cargo dos estudos da Embrapa, que são referências internacionais, para tornar a biomassa uma fonte de biocombustível sólido.

A biomassa é o hoje e o futuro!

Deixe uma resposta

Fechar Menu