Regularização de terraplenos

Regularização de terraplenos

Encher um vão com terra, deixar um terreno plano…. Esses são alguns dos significados de terraplenagem, mas acredite, esse processo vai muito além de apenas colocar terra em um buraco. Uma terraplenagem bem feita ajuda na sustentação da base de qualquer construção e/ou pavimentação.

Casas, edifícios, asfaltamento, esses três itens são apenas alguns exemplos que necessitam de uma terraplenagem qualificada para garantir o sucesso de um projeto.

Agora que ficou claro que terraplenagem é uma técnica usada para aterrar uma área, ou seja, uma movimentação de terra afim de aterrar e nivelar um terreno podemos passar para o assunto que realmente queremos abordar, a regularização de terraplenos. Mas antes…

Um pouco da história da terraplenagem

Não é de hoje que o ser humano faz uso da terraplenagem em seus projetos de construção. Os primeiros registros que se tem conhecimento do uso dessa técnica é datada das civilizações babilônicas, egípcias e romanas. Na antiguidade, era possível observar o uso desse processo na construção dos aquedutos, canais de irrigação, estradas e até mesmo nas pirâmides somente com a tecnologia da época, isto é, nada de máquinas que facilitavam o processo como um todo.

O implemento de tecnologia (leia-se máquinas) no processo de terraplenagem ocorreu somente após a Revolução Industrial. O trabalho braçal até então, era o único responsável para a realização do projeto.

Regularização de terraplenos: é realmente necessário?

O processo de terraplenagem passa por diversas etapas da análise do solo até a camada final que dependendo do projeto, será feita com um tipo específico de material. No meio desse procedimento todo encontra-se a regularização de terraplenos, o preparo do subleito.

Um ótimo exemplo para se falar da regularização é abordar o processo da construção de rodovias. Dentre todas as camadas que se fazem necessárias para a construção de uma rodovia, a niveladora ou regularização, situada logo acima da base de lastro é fundamental. A regularização e nivelação serve para que não haja nenhuma falha na camada que sustentará as outras sete ou mais camadas superiores que agem na impermeabilização, enchimento, isolação tanto térmica quanto acústica, contrapiso e então a camada visível aos nossos olhos, que no caso da pavimentação/asfaltamento é o pixe.

Essas camadas finitas e de espessuras específicas se tornam necessárias para tornar o projeto resistente o suficiente para aguentar as intempéries não só do tempo, mas também do peso dos veículos até mesmo ao atrito com os pneus.

A regularização do subleito é adequada ao leito estradal precisa ter uma espessura mínima que obedece a cota na execução da camada final do subleito. O reforço é feito quando há uma má

fundação ou ainda tráfego de cargas muito pesadas ou ainda de fatores combinantes. Quando o pavimento é rígido, o reforço do subleito é dispensável.

Esse processo é feito para que não haja más formações como ondulações, afundamentos, fendas, trincas tanto por fadigas quanto transversais.

A regularização de terraplenos é de responsabilidade da empresa contratada assim como todo o material utilizado e o cuidado ao meio ambiente. Portanto, ao contratar um serviço de terraplenagem certifique-se da seriedade e comprometimento da empresa com produtos de qualidade, mão de obra especializada e sustentabilidade.

Quer saber mais? Clique aqui

Deixe uma resposta

Fechar Menu